CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM/ESCS/FEPECS

A Escola Superior de Ciências da Saúde-ESCS, criada pelo Decreto nº 22.074 de 11/04/2001, é uma Instituição de Ensino Superior pública mantida pela Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde-FEPECS e esta, por sua vez, vinculada à Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal. Foi criada na perspectiva de formar profissionais de saúde com perfil mais adequado às necessidades da população e em consonância com os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde-SUS.

A ESCS, em conformidade com as necessidades da população do Distrito Federal, da região Centro Oeste e do País, acompanha os movimentos para a melhoria do ensino superior e as redefinições do perfil e do papel dos profissionais de saúde. Com esta atitude, a ESCS estrutura-se como uma Unidade de Ensino de Saúde, entendendo ser a educação uma grande alavanca de mudanças na sociedade.

A ESCS oferece o curso de medicina desde 2001, direcionado a uma prática médica social e voltada para os problemas peculiares dos serviços de saúde regionais, utilizando-se de metodologia inovadora, buscando alcançar, mediante atuação conjunta em matéria de Ensino, Pesquisa e Prestação de Serviços uma integração multi-institucional entre os órgãos públicos e a sociedade a que servem.

Neste sentido, a ESCS propôs a implantação do Curso de Graduação em Enfermagem na ESCS/FEPECS, adotando uma proposta metodológica inovadora, voltada para a formação do perfil profissional desejado para o fortalecimento do SUS.

No país, as escolas de enfermagem nos moldes tradicionais não têm conseguido inserir em suas estruturas as mudanças necessárias para formar um profissional com perfil adequado. Portanto, a Secretaria de Estado de Saúde do DF apresenta uma proposta de formação de enfermeiros inovadora, com profissionais capacitados para resolverem os problemas de saúde peculiares à população do Distrito Federal/Entorno/Região Centro-Oeste.

O mercado de trabalho exige novo enfoque na formação na área de enfermagem, pois aponta para a necessidade de profissionais com perfil distinto do atual, com outras competências e habilidades, com outras atitudes e capacidade de buscar informações técnicas e científicas relevantes. O curso seguirá o consenso mundial em relação às funções que o profissional universitário deve cumprir no campo da saúde

Neste cenário, o Projeto Político Pedagógico-PPP, para o curso de graduação em enfermagem foi delineado com base na Resolução CNE/CES/MEC nº 03, de 07/11/2001, que instituiu as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem, e mediante a adoção de um modelo pedagógico inovador, caracterizado por três princípios: aprendizagem centrada no estudante, ensino baseado em problemas, e orientado à comunidade.

O PPP elaborado para o Curso de Enfermagem utiliza metodologias ativas de ensino aprendizagem, sempre com base em orientações pedagógicas advindas do construtivismo sobre os processos de aprendizagem, tendo, como eixo a aprendizagem baseada em problemas, o currículo integrado, flexível, dinâmico e contextualizado, centrado no estudante, orientado à comunidade, tendo como objetivos facilitar a articulação dinâmica entre teoria/prática e a integração ensino/serviços/comunidade, desde o primeiro ano de ensino e a formar enfermeiros com perfil desejado para atendimento às exigências do mercado de trabalho.

Em setembro de 2008, a ESCS, recebeu a autorização da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal/SES/DF, mediante a portaria nº 195, de 08 de setembro de 2008, para o funcionamento do Curso de Graduação em Enfermagem.

O corpo docente do curso de enfermagem é fruto de uma seleção e capacitação direcionada para consolidar seu projeto educacional. Servidores da SES/DF são selecionados com base em critérios de dedicação, compromisso, currículo e titulação acadêmica e submetidos a uma capacitação básica para docência em metodologias ativas de ensino, sendo os mesmos responsáveis pela produção, execução e avaliação de todas as unidades educacionais.

A organização Curricular proposta, visa promover a articulação entre teoria e prática, ensino e serviços. Esta matriz busca integrar as diversas disciplinas numa abordagem interdisciplinar e articular os aspectos das dimensões humanas, psicológicas e sociais envolvidas em uma determinada situação problema de saúde. As bases cognitivas da enfermagem são oferecidas aos estudantes por meio das unidades educacionais que associam conteúdos das aéreas do conhecimento das ciências biológicas, ciências humanas e sociais e ciências da enfermagem, focalizando, principalmente, o estudo da realidade social da saúde e da enfermagem, tendo como premissa capacitar o estudante para compreender o seu papel político e social. A organização dos conteúdos está sustentada na transdisciplinaridade e interdisciplinaridade e tem como eixos transversais, a ética, o processo saúde - doença, a comunicação e o trabalho de equipe.

Durante os quatro anos do curso, os estudantes são inseridos precocemente em atividades práticas sob supervisão, tanto em laboratórios como em serviços de saúde estabelecendo uma relação com pacientes e comunidade, tornando possível desde o primeiro momento o contato com a realidade social onde está inserido. O estudante sai do papel de receptor passivo de informações para o de agente, principal responsável por seu aprendizado, nos moldes da didática construtivista. O novo conceito curricular do curso de graduação em enfermagem está assentado em dois grandes eixos: Dinâmica Tutorial e Habilidades Profissionais em Enfermagem.

Dinâmicas Tutoriais-DT - os conteúdos são aprendidos sob a forma de problemas. Um pequeno grupo de estudantes, orientado por um tutor deve apresentar soluções para os casos específicos. Os estudantes vão em busca de informações nas diversas fontes de pesquisa existentes (livros, Internet, consultores, e etc) para construir seu conhecimento. Habilidades Profissionais em Enfermagem-HPE - os estudantes aprendem procedimentos de enfermagem, clínicos e cirúrgicos mais freqüentes e também treinam a abordagem que deve ser feita ao doente e sua família. O estudante aprende a trabalhar com sua comunidade e a valorizar a rede básica de saúde onde está inserido. Estão definidos como campos de práticas de ensino-aprendizagem do curso, as Regionais de Saúde de Samambaia, Recantos das Emas e Taguatinga. Este treinamento de habilidades profissionais é feito em um programação estruturada longitudinalmente ao longo das quatro séries.

A avaliação do processo de ensino-aprendizagem do Curso de Graduação em Enfermagem/ESCS utilizará as modalidades formativa e somativa. A avaliação escolar é vista como uma forma de auxiliar o educando no seu processo de aprendizagem e de crescimento pessoal.

O sistema é considerado formativo quando permite a correção, a reformulação e a melhoria constantes dos processos ensino-aprendizagem e dos desempenhos. A avaliação formativa é realizada durante o desenvolvimento de cada unidade didática, acompanhando os progressos, dificuldades do educando em relação aos conhecimentos, competências e habilidades. Ela direciona o acompanhamento, a orientação e reorientação do processo, propiciando o planejamento e a execução da recuperação paralela do estudante, quando necessária. Nessa modalidade de avaliação utiliza-se a auto-avaliação, e a avaliação que é realizada pelos demais membros do grupo ou equipes de trabalho sobre o desempenho de cada um.

Na avaliação somativa do estudante, busca-se avaliar os aspectos cognitivos, as habilidades e as atitudes (desempenhos e competências) relacionadas aos objetivos específicos das unidades educacionais/estágios. Esta modalidade de avaliação é realizada ao final das unidades educacionais, verificando o alcance pelos estudantes das competências e habilidades propostas pelo Curso. Os aspectos somativos em relação aos estudantes estão relacionados à verificação dos fatores críticos para a prática profissional e certificam a progressão destes no programa e sua formulação ao final do período de graduação.

Nas atividades teóricas e práticas de cada unidade educacional, serão definidos os padrões de desempenho a serem alcançados pelos estudantes, assim como os instrumentos utilizados no processo avaliativo.