Por meio do telemonitoramento, estudantes de Enfermagem da ESCS realizam laboratório Itinerário para reavaliar hemoglobina glicada de diabéticos

Por meio do telemonitoramento, estudantes de Enfermagem da ESCS realizam

laboratório Itinerário para reavaliar hemoglobina glicada de diabéticos

 

Estudantes de Enfermagem da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS), mantida pela Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (FEPECS) utilizaram o aplicativo Trello para identificar quais diabéticos precisavam ser monitorados e montaram um laboratório itinerante para atender exclusivamente a esse público de forma acolhedora, humanizada e garantindo segurança sanitária.

A docente responsável pela ação, Domitilia Bonfim, destacou a iniciativa das estudantes.

"A pandemia não pode interferir no acompanhamento desse grupo de risco, muitos têm medo de vir ao serviço. As estudantes organizaram e pensaram em tudo para tornar esse momento agradável", destacou Domitilia Bonfim.

"Essa intervenção com os diabéticos me fez observar o quão importante é a busca ativa dos pacientes, pois vários deles agradeceram a nossa proatividade em ligar e agendar a coleta de sangue. Diante disso, foi muito gratificante ajudar esses pacientes da melhor forma que conseguimos", declarou a estudante de Enfermagem Isabela Alencar de Oliveira.

A estudante de Enfermagem, Letícia Santana de Araujo, explicou detalhadamente como funcionou o laboratório itinerante.

"A intervenção foi uma experiência fantástica, realizamos a coleta de sangue dos pacientes diabéticos, que tinham como objetivo o exame da hemoglobina glicada, que não haviam feito há mais de um ano. Aproveitamos a oportunidade para realizar todos os exames que eles não haviam feito. O contato com esses pacientes foi realizado por meio de telemonitoramento, organizamos a planilha desses pacientes na unidade.  Além disso, fizemos uma decoração acolhedora e oferecemos um lanche light para os diabéticos após a coleta. Os pacientes ficaram gratos pela nossa atividade."

De acordo com a estudante Flávia Ribeiro, destacou a importância do planejamento e das ferramentas digitais para a execução da ação.

“O acompanhamento do paciente diabético é imprescindível para evitar complicações advindas da doença. Diante do cenário de pandemia, muitos pacientes portadores de diabetes deixaram de comparecer às unidades de saúde com receio de aglomeração e contaminação. Ao realizarmos a ação, na fase de planejamento, pensamos em como levar os pacientes de forma segura e o mais rápido possível para a realização da coleta de amostra de sangue para análise laboratorial. Além disso, noto que o planejamento e execução de determinadas ações, possíveis, previamente e o uso efetivo das ferramentas digitais (ligações, whatsapp) favorecem a produtividade, comunicação e assim diminui o tempo de permanência do paciente na unidade”, destacou a estudante Flávia Ribeiro.