Atenção básica em saúde bucal no estado de Goiás de 2001 a 2013

  • Priscila Curado Fleury Tavares Universidade Federal de Goiás
  • Erica Tatiane Silva Almeida Fundação Oswaldo Cruz Brasília, Brasília, Brasil

Resumo

Objetivo: Analisar a atenção básica em saúde bucal do estado de Goiás considerando a evolução da cobertura populacional das equipes de saúde bucal e dos indicadores da assistência odontológica no período de 2001 a 2013.
Métodos: Trata‑se de um estudo descritivo baseado em dados secundários sobre a cobertura populacional das equipes de saúde bucal e os indicadores da atenção básica em saúde bucal ‑ cobertura de primeira consulta odontológica programática, cobertura da ação coletiva de escovação dental supervisionada, média de procedimentos odontológicos básicos individuais e proporção de exodontias em relação às ações odontológicas básicas individuais.
Resultados: Houve aumento da cobertura populacional das equipes de saúde bucal, principalmente da Modalidade I. Apesar dos avanços significativos da atenção básica em saúde bucal no estado de Goiás no período de 2001 a 2013, os indicadores revelam fragilidades no acesso e utilização dos serviços, permanecendo ainda as iniquidades no acesso e utilização dos serviços entre os municípios do estado de Goiás, além do caráter predominantemente curativo e mutilador do modelo tradicional de atenção odontológica.
Conclusões: É necessário o desenvolvimento de estratégicas para que a expansão da cobertura populacional das equipes de saúde bucal seja acompanhada pela crescente oferta e utilização de serviços, com diminuição gradativa dos procedimentos mutiladores e consolidação de uma assistência integral, resolutiva e equitativa.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Cirurgiã‑dentista Sesc Goiânia Brasil Brasil Curso de Especialização em Análise de Situação de Saúde do Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública – IPTSP. Universidade Federal de Goiás.

Priscila Curado Fleury Tavares. Endereço: Rua c 187 n300 casa 8 Jardim América, Goiânia, Goiás. CEP: 74265300

##submission.authorWithAffiliation##

Cirurgiã‑dentista FioCruz Brasília; Professora doutora do Curso de Especialização em Análise de Situação de Saúde do Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública – IPTSP. Universidade Federal de Goiás.

Referências

1. Pinto VG. Saúde bucal no Brasil. Rev Saúde Pública. 1983;17(4):316‑27.
2. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios‑1998: acesso e utilização de serviços de saúde. Rio de Janeiro: IBGE, 2000.
3.Roncalli AG. A organização da demanda em servi‑ ços públicos de saúde bucal [tese]. [Araçatuba]: Universidade Estadual Paulista; 2000. 238 p.
4. Martins GP. Avaliação dos serviços de atenção primá‑ ria à saúde no município de Uberaba: acessibilida‑ de, utilização e longitudinalidade da atenção [dis‑ sertação]. [São Paulo]: Universidade de São Paulo; 2005. 151 p.
5.Kornis GEM, Maia LS, Fortuna RFP. Evolução do financiamento da atenção à saúde bucal no SUS: uma análise do processo de reorganização assistencial frente aos incentivos federais. RevSaude Coletiva. 2001;21(1):197‑215.
6. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica (BR). Projeto SBBrasil 2003: condições de saúde bucal da popu‑ lação brasileira 2002‑2003: resultados principais. Brasília: Ministério da Saúde, 2005. 68 p.
7. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica (BR). Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.
8. Freitas MI, Leita ICG. Utilização dos indicadores de atenção básica em saúde bucal para avaliação da as‑ sistência odontológica no município de Juiz de Fora, Minas Gerais, no período de 2002 a 2005. Revista APS 2007; 10 (1): 36‑45.
9. Pimentel FCA, Albuquerque PC, Martelli PJL, Acioli RML, Souza WV. Análise dos indicadores de saúde bucal do Estado de Pernambuco: desempenho dos municípios segundo porte populacional, população cadastrada no Sistema de Informação da Atenção Básica e proporção na Estratégia Saúde da Família. Cad de Saúde Coletiva. 2014; 22 (1): 54‑61.
10. Oliviera PMC, Menezes LMB ,Santrain MVL, Almeida PC, Almeida MEL. Indicadores de Saúde Bucal da Atenção Básica no Estado do Ceará: Análise Crítica.Cadernos ESP. 2011; 5(1): 29‑36.
11. Viana IB, Martelli PJL, Pimentel FC. Análise da evolução das Equipes de Saúde Bucal na Estratégia Saúde da Família em Pernambuco de 2001 a 2009. Revista IJD 2011; 10 (4): 242‑248.
12. Barros SG, Chaves SCL. A utilização do sistema de informações ambulatoriais como instrumento para caracterização das ações de saúde bucal. EpidemiolServ Saúde. 2003;12(1):41‑51.
13 .Fernandes LS, Peres MA. Associação entre atenção básica em saúde bucal e indicadores socioeconômi‑ cos municipais. Rev Saúde Pública. 2005;39(6):930‑ 6.
14.Brasil. Portaria n° 493, de 10 de março de 2006. Diário Oficial da República Federativa do Brasil.
Brasília, DF; 2006. Disponível em: http://dtr2001. saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2006/GM/GM‑ 493.htm>. Acesso em: 01 Ago 2014.
15. Pereira CRS, Patrício AAR, Araújo FAC, Lucena EES, Lima KC, Roncalli AG. Impacto da Estratégia Saúde da Família com equipe de saúde bucal sobre a utili‑ zação de serviços odontológicos. Cadernos de Saúde Pública. 2009; 25(5): 985‑996.
16.Paim, J. S. Políticas de saúde no Brasil. In Roquayrol, M. Z. ; Almeida Filho, N. Epidemiologia e Saúde. Rio de Janeiro, 2003. p. 587‑603.
17.Roncalli, AG. Panorama do acesso à saúde bucal no Brasil. Rev. Brasileira de Odontologia e Saúde Coletiva 2002; Suplemento Especial , XVII Enatespo:20.
18. Barros, AJD,Bertoldi, AD. Desigualdades na utiliza‑ ção e no acesso a serviços odontológicos: uma ava‑ liação em nível nacional. Ciência e Saúde Coletiva 2002; 7: 709‑17.
19. Silva SF, Martelli PJL, Sá DA, Cabral APS, Pimentel FC, Monteiro I, Macedo CL. Análise do avanço das equipes de saúde bucal inseridas na estratégia de saúde da família em Pernambuco. Região Nordeste, Brasil, 2002 a 2005. Ciência e Saúde Coletiva 2011; 16: 211‑220.
20. Bordin, D, Fadel, CB. Pacto pela saúde no Brasil : uma análise descritiva da progressão dos indicadores de saúde bucal. Rev. Odontol. UNESP 2012; 41 (5):305‑311.
Publicado
2018-06-26
Como Citar
TAVARES, Priscila Curado Fleury; ALMEIDA, Erica Tatiane Silva. Atenção básica em saúde bucal no estado de Goiás de 2001 a 2013. Comunicação em Ciências da Saúde, [S.l.], v. 28, n. 02, p. 226-233, june 2018. ISSN 1980-5101. Disponível em: <http://www.escs.edu.br/revistaccs/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/233>. Acesso em: 24 june 2019.
Seção
Saúde Coletiva