Busca ativa de pacientes idosos edêntulos

diretriz necessária para atenção e vigilância em saúde bucal.

  • Luiz Guilherme Loivos de Azevedo FEPECS
  • Renata Costa Fortes mestrado profissional em ciências para saúde. Escola Superior em Ciencias da Saúde. Fundação de Ensino e Pesquisa em Cências da Saúde.
  • Ana Lúcia Ribeiro Salomon mestrado profissional em ciências para saúde. Escola Superior em Ciencias da Saúde. Fundação de Ensino e Pesquisa em Cências da Saúde.
  • Leila Bernarda Donato Göttems mestrado profissional em ciências para saúde. Escola Superior em Ciencias da Saúde. Fundação de Ensino e Pesquisa em Cências da Saúde.

Resumo

Objetivo: Este trabalho discute, com base na literatura e nos resultados de um estudo observacional analítico, de corte transversal, a importância em ser promovida uma reestruturação na atenção primária de saúde para o atendimento da população idosa pelas equipes de odontologia. Metodologia: Foi realizada revisão de literatura com objetivo de estruturar pesquisa observacional analítica destinada a analisar a influência do edentulismo total na qualidade de vida de indivíduo idosos. Resultado: A literatura consultada, em consonância com os resultados encontrados pelo estudo, indica a necessidade de ser implementada uma estratégia de trabalho diferenciado para idosos, com vistas a vincular essa população de forma efetiva e longitudinal com o serviço de odontologia da atenção básica. Conclusão: É fundamental que a atenção básica em saúde possua um modelo de trabalho que realize uma ´busca ativa` da população idosa, visando incorporar o idoso numa rotina regular de monitoramento bucal e odontológico e rompendo com a lógica habitual de ´queixa-consulta`.

Publicado
2019-04-15
Como Citar
DE AZEVEDO, Luiz Guilherme Loivos et al. Busca ativa de pacientes idosos edêntulos. Comunicação em Ciências da Saúde, [S.l.], v. 29, n. 02, p. 105-112, apr. 2019. ISSN 1980-5101. Disponível em: <http://www.escs.edu.br/revistaccs/index.php/comunicacaoemcienciasdasaude/article/view/293>. Acesso em: 24 june 2019.
Seção
Saúde Coletiva